Uma pergunta muito frequente entre os profissionais desta área… Quanto devo cobrar pelos serviços de Marketing Digital?

Existem inúmeras variáveis a ter em consideração quando se quer apurar um valor justo a cobrar pelos seus serviços e que aporte em simultâneo benefícios para o seu cliente.

Como diz o ditado, “o negócio só é bom, se as partes ganharem”.

O valor do seu produto ou serviço deve ser estabelecido pelo valor percebido pelo seu cliente. Na prática ,significa que a empresa que o pretende contratar tem que compreender o que vai acrescentar ao projecto e o impacto que isso terá na sua organização.

Não se esqueça também que vai trabalhar com o recurso mais escasso do mundo, sabe qual é? Exactamente, o TEMPO!

É igual para todos e o que não for bem investido perde-se para sempre, portanto valorize e trate com muito carinho a sua “matéria-prima”.

Para reduzir o risco de decisão de compra, nada como mostrar alguns casos de sucesso, algo que o pode ajudar na adjudicação do seu orçamento e na perceção de valor acrescentado associado.

Importante referir que este artigo é baseado em experiências pessoais e uma interpretação directa que decorre do meu percurso profissional e académico.

Partilhe a sua opinião e faça as sugestões que entender pertinentes através da zona de comentários mais abaixo.

Vamos por partes…

Capacidade de Produção Instalada

Se a sua decisão foi trabalhar a tempo inteiro nesta área, prepare-se para ler o que vem a seguir…

NÃO vai conseguir usar 100% do seu TEMPO para produzir!

Vai ter que investir muitas horas em reuniões, sessões de networking, chamadas telefónicas, formação, gestão do seu negócio entre outras tarefas que vão absorver uma parte considerável do seu tempo.

Se fizer uma boa otimização, provavelmente vai conseguir usar cerca 60% para tarefas produtivas.

Significa, portanto, que se trabalhar 8 horas por dia, 22 dias por mês, vai conseguir utilizar cerca de 106 horas mensais.

Não se esqueça que terá que tirar uns dias de férias para poder descansar e recuperar forças o que implica que terá que multiplicar as 106 horas mensais por apenas 11 meses, totalizando cerca de 1.166 horas anuais.

Parabéns, acabou de calcular a sua capacidade de produção instalada!

Se necessitar de mais horas, talvez esteja na altura de pensar em contratar mais recursos para os seus projectos.

Remuneração

“Quanto é que vou GANHAR?”

Pergunta muito comum e legítima numa entrevista de emprego.

A diferença é que neste momento não está sentado na cadeira do entrevistado mas sim do empregador.

Vamos imaginar que pretende ganhar 1.200 € brutos mensais. A primeira coisa a fazer é multiplicar este valor por 14, porque tem que considerar o subsidio de férias e subsidio de natal.

1.200 € x 14 meses = 16.800 €

Apurado o valor de rendimento anual, torna-se agora necessário dividir esse mesmo montante pelo número de horas de trabalho efectivo.

16.800 € / 1166 horas anuais = 14,41 €

Custos Fixos e Variáveis

Os custos fixos referem-se aos custos de estrutura inerentes ao seu negócio.

São aquelas despesas que não consegue sacudir, independentemente do seu volume de vendas.

Os custos variáveis, oscilam em função da actividade. Se volume de negócios aumentar será expectável que haja uma subida desses custos.

Para este artigo em concreto, vou usar algumas rubricas que são consensuais à maioria dos casos.

Taxa Social Única
1.200 € x 23,75% = 285 €
285€ x 14 meses = 3.990 €/Ano

Contabilidade Organizada
100€ x 12 Meses = 1.200 €

Escritório
225€ / Mês x 12 Meses = 2.700 €

Seguro acidentes trabalho
1200 € x 1% = 12€
12€ x 14 meses = 168 €/Ano

Subsidio de Refeição
6,83 € x 22 dias = 150,26 €
150,26 € x 11 meses = 1.652,86 €

Equipamento Básico
Computador – 750€/Ano 
(Os computadores não duram para sempre, se comprar um macbook de 4 em 4 anos, o que representa cerca de 3.000 €, terá que fazer uma amortização de 25%/ano pelo menos)

Software de Faturação
100€ / Ano

Despesas de Representação e deslocação
1.200 € / Ano

Formação
1.000 € / Ano

Resumo:
TSU – 3.990 €
Contabilidade – 1.200 €
Escritório – 2.700 €
Seguro – 168 €
Sub.Alimentação – 1.652,86 €
Computador – 750 €
Software Faturação – 100€
Desp.Representação – 1.200 €
Formação – 1.000 €
Total – 12.760,86 €

Conforme vimos nos cálculos acima, identificamos que no decorrer do nosso trabalho teremos cerca de 12.760,86 € anuais de custos fixos e variáveis, o que exclui o vencimento de 1.200 € brutos.

Break-Even

O Break-Even é o ponto onde não obtém lucro mas também não tem prejuízo. Poderemos considerar que é o objectivo mínimo a cumprir…

Custos Fixos e Variáveis
12.760,86 € / 1.166 horas = 10,94 €
Vencimento hora
16.800 € / 1166 horas anuais = 14,41 €

Total = 25,85 €

Neste caso, o seu custo mínimo por cada hora de trabalho efetivo será de 25,85€.

Valor hora Final

Não se esqueça que existem sempre custos ocultos com que nos deparamos no dia a dia: um software novo que queremos comprar, umas obras no escritório, uma conferência , etc.

Vai ter que gerar riqueza se pretende re-investir no seu negócio e fazer-lo crescer.

Aplique uma margem de pelo menos 25% sobre o seu preço de custo para determinar o valor hora a cobrar.

(25,85 € x 25%) + 25,85 € = 32,31 €

Conclusão

Calcular o preço de custo por hora, é na minha opinião um dos indicadores mais importantes para qualquer profissional que trabalhe com “tempo”.

Se não souber calcular o seu valor/hora, terá que lidar com a frustração de trabalhar afincadamente e não conseguir pagar as contas no final do mês e mais tarde ou mais cedo vai ter que fechar as portas.

Se tiver 2 ou mais recursos, os custos fixos podem ser dividos pelo número de elementos da equipa o que dilui o valor hora unitário.

Ao fazer este exercício vai identificar com clareza o seu limite inferior, o que também vai ajudar no momento da negociação com o seu cliente, pois já sabe que abaixo do valor que definiu, vai ter prejuízo.

Se optar por trabalhar por serviço prestado (gestão de campanhas, gestão de redes sociais, etc) calcular o seu custo hora é igualmente importante, porque terá que estimar o tempo que precisa para executar cada tarefa ainda que não cobre ao seu cliente por hora trabalhada.

Recomendo ainda que no final de cada dia de trabalho faça um relatório do que fez e o tempo que investiu para a execução de cada tarefa.

Assim, vai conseguir controlar o número de horas alocado a cada projecto e cliente e perceber se existem desvios consideráveis, os quais devem ser corrigidos.

Existem imensas ferramentas que o podem ajudar, desde uma simples folha de excel até ferramentas mais elaboradas como é o caso do Toggl.

Espero que este artigo seja útil e um verdadeiro contributo para refletir sobre o valor justo a praticar.